quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Deus/ God / Dieu / Verdade Absoluta



"Infinito. Nada. - (...) Sabemos que há um infinito e ignoramos a sua natureza. Como sabemos que é falso que os números sejam finitos; portanto, é verdade que existe um infinito em número. Mas não sabemos o que ele é. (...) Assim, pode-se bem saber que há um Deus, sem saber o que ele é. (...) Conhecemos, pois, a existência e a natureza do finito, porque somos finitos e temos uma extensão como ele. Conhecemos a existência do infinito e ignoramos a sua natureza, porque ele tem extensão como nós, mas não tem limites como nós. Mas não conhecemos nem a existência nem a natureza de Deus, porque ele não tem extensão nem limites.Mas pela fé conhecemos a sua existência. (...) Ora já demonstrei que se pode muito bem conhecer a existência de uma coisa sem conhecer a sua natureza. (...)Se há um Deus, ele é infinitamente incompreensível, uma vez que, não tendo nem partes nem limites, não tem qualquer comparação connosco. Somos, portanto, incapazes de saber o que ele é e se existe. Em vista disso, quem ousará tentar resolver esta questão? Não somos nós, que não temos qualquer comparação com ele. Quem censurará pois os cristãos de não poderem explicar as razões da sua crença, eles que professam uma religião de que não podem explicar as razões?"Deus existe ou não existe". Mas para que lado nos vamos inclinar? A razão nada pode determinar. Há um caos infinito que nos separa. (...) Pelo raciocínio, não podeis apostar num nem noutro. Pelo raciocínio, não podeis rejeitar nenhum dos dois."

*

Blaise Pascal, PENSAMENTOS (Séc. XVII)

1 comentário:

Anónimo disse...

Se bem que este - confesso - ainda não seja o meu mundo, gostei muito de "consultar" o teu blogue. E li, com gosto, a maior parte dos textos. Sim, senhora, é uma boa forma de ocupar o tempo!!!!
Parabéns pela produção literária e cultural!!
Beijinhos
L.