sexta-feira, 28 de março de 2008

Livro "Etiqueta para Crianças, Um Manual para a Cidadania"

Livro ETIQUETA PARA CRIANÇAS, UM MANUAL PARA A CIDADANIA, Maria João Saraiva de Menezes, Plátano Editora, Junho 2006.

"Passam a vida a falar-te de regras e disciplina. Que seca! Mas já reparaste que sem regras, o mundo era uma grande confusão?! Falavam todos ao mesmo tempo; avançavam os carros todos duma vez… e CRÁS!; toda a gente faltava à escola e ao trabalho sempre que apetecesse, prejudicando gravemente o seu futuro! Nada como haver regras, para sermos todos felizes! "

O seu filho poderá, através deste livro, assimilar algumas regras de boa convivência social, sem as considerar, no entanto, um sermão, uma vez que identificar-se-á com a linguagem utilizada. É um livro para a infância e a adolescência, utilizando uma linguagem divertida e fluida.

Preço de venda ao público: 6,30.

ÍNDICE do livro:



¨ Deves ser educado
¨ Ter bom aspecto
¨ Na escola
¨ Dentro do carro
¨ Nos transportes públicos
¨ À mesa
¨ Hábitos alimentares
¨ No restaurante
¨ Fazer amigos
¨ Saber conversar
¨ Saber estar
¨ Ao telefone
¨ Quando tens visitas
¨ Quando vais a casa de alguém
¨ Dar e receber presentes
¨ Amigos e família
¨ Vizinhos
¨ Tu e os teus pais
¨ Salva a Mãe-Natureza
¨ Birras em público
¨ Não fales com estranhos



Poderá adquirir o livro através dos seguintes sítios:

http://www.wook.pt/


http://www.platanoeditora.pt/

6 comentários:

Anónimo disse...

Olá, Maria

Td bem?
Sou repórter de uma revista para meninas entre 8 e 13 anos chamada Atrevidinha (www.atrevidinha.com.br). Estou fazendo uma matéria sobre "etiqueta em festas de final de ano" e gostaria de entrevistá-la, já que a senhora é autora de livro sobre o tema. Gostaria de saber:

- Nas festas de final de ano, estamos cercados por pessoas queridas e com qm temos intimidade. Por isso, as meninas podem se sentir à vontade demais e tirar o sapato durante a festa, beliscar alguma coisa da ceia antes da hora. Existe um limite para essas crianças estarem à vontade no Natal ou vale tudo? O que vc diria para elas?

- Preciso de 5 diquinhas que ensinem essas meninas a se portar no Reveillon e no Natal

- O que vc diria para as meninas que acham frescura ter etiqueta nos dias de hj?

Aguardo suas respostas o quanto antes. Preciso fechar a matéria no dia 2, sexta.
Agradeço sua atenção.
Abraços,
Manoella Oliveira

Maria Saraiva de Menezes disse...

Olá, Manoella,
É com prazer que darei umas dicas para sua revista.
Em relação ao 1º ponto, para meninas entre os 8 e 13 anos, penso que já poderemos pedir um pouco mais delas em relação à sua postura numa festa tão bonita. Um bebé de 2 a 4 anos, pode tirar o sapato, que todo mundo acha graça; mas uma rapariga dessas idades pode bem já se comportar mantendo o nível e a postura. Ao ter uma atitude enquadrada com a dos adultos, elas serão respeitadas, admiradas pelos amigos e a família. E existe um limite para essas crianças estarem à vontade no Natal, pois é óbvio que se trata de um momento mais solene e diferente de uma ida ao Zoo ou à praia. Os pais poderão ter uma pequena conversa com elas antes da festa, dizendo como é importante que elas dêem charme e magia a um momento tão especial, sendo amáveis com todas as visitas e colaborando no que for necessário. Não é altura para birras nem amuos, devendo-se cumprimentar todas as pessoas em particular. Tb é importante que não haja correrias e gritarias pela sala , entre os adultos, podendo haver uma sala reservada para essas idades, podendo assim estarem mais à vontade durante parte da festa.
Quanto a beliscar qualquer coisa antes de ceia, depende do rigor de cada família. Se houver uma mesa com aperitivos e bebidas (sem alcool!), não haverá problema, mas é claro que a menina nunca se poderá sentar à mesa da ceia antes dos outros convidados nem servir-se dos pratos destinados à ceia.
Por fim, nesta idade elas já gostam de escolher a roupa e é importante que se sintam bem com ela. Mas é impensável que apareçam de jeans e chinelo, pois é importante para a ocasião e para a pessoa que organiza esse evento, que os outros respeitem o momento vestindo-se de forma chique e festiva.


Para as "meninas que acham frescura ter etiqueta nos dias de hj". Como eu não encaro a etiqueta como uma coisa aborrecida nem a vejo do ponto de vista protocolar, não gosto do seu lado exibicionista nem teatral. Para mim, Etiqueta é bom senso, em 1º lugar, porque deriva directamente dele. As regras de Etiqueta servem para manter algum glamour, algum charme, mas nunca ao ponto do ridículo. Por isso, o excesso de Etiqueta poderá tornar-se ridículo. Para além de um certo charme natural que a etiqueta nos confere, ela traz logo atrás o respeito pelo outro e pelas ocasiões, sejam elas especiais ou apenas um momento no metro ou no supermercado. Ao respeitar a dignidade do outro, estamos automaticamente a exigir que respeitem tb a nossa. É só isso. Ter etiqueta é mostrar que se tem nível, que se é distinto. Pode-se ser "cool" e ser um cavalheiro, ou no caso das meninas, ter classe jovem!

5 dicas para o Reveillon e o Natal:
1- Apronte-se com algum requinte, pois esta é uma festa solene. Nada de jeans nem ténis! O cabelo tb pode ter um toque diferente.
2- Mantenha o charme: nada de lamber os dedos depois de beliscar uma sobremesa que não podia, nem limpar as mãos à roupa. Não é preciso ser velho para ter elegância!
3- Quando receber um presente, agradeça com educação, mesmo que não goste do objecto. O que conta, verdadeiramente, é o carinho que a pessoa tem para consigo e o facto de não a ter esquecido.
4- Sente-se à mesa apenas quando a chamarem e siga com cuidado as regras básicas de etiqueta à mesa (Só comece a comer assim que os donos da casa pegarem nos talheres; coloque o guardanapo no copo e limpe a boca de cada vez que vai beber para não sujar o copo; utilize os talheres com elegância e sem barulho; coma com a boca fechada e não fale com a boca cheia). Muito importante: não diga que não gosta da comida; faça um esforço e coma um pouco de tudo o que lhe é oferecido). Nada de arroto indiscreto!

5- Seja agradável e diplomática. Não aproveite para chingar o primo ou a tia de quem vc não gosta nem para os insultar perante toda a família. Nada de grito nem palavrão.


Espero ter correspondido à suas questões e que o português de Portugal não leve a equívocos. Se puder referir os meus livros de etiqueta e o meu blogue, agradeço.

Anónimo disse...

Olá, Maria

Agradeço muito por sua atenção. Adorei sua entrevista.

Abraços,
Manoella Oliveira

Anónimo disse...

Cara Dra. Maria de Menezes,

Muito obrigada pela atenção e felicito-a pelo facto de ter “atravessado o Atlântico”

Muito atentamente.

Pedro Prata Ginja
PLÁTANO EDITORA

Anónimo disse...

Olá Maria !

Me chamo Fábio, e sou do Brasil. Tomei conhecimento de seu livro e de seu contato, pois minha mãe cursa pedagogia e foi indicado o seu livro "Etiquetas para crianças. Um manual para cidadania" como fonte de pesquisa.

Ocorre que no Brasil não há a editora Plátano, e também não encontrei-o através da internet.

Caso você enquanto autora saiba e possa indicar-me onde obter o livro aqui no Brasil, serei grato.

Aguardo resposta,

Fábio.

Maria Saraiva de Menezes disse...

Caro Fábio,
Obrigada pelo vosso interesse no meu livro ETIQUETA PARA CRIANÇAS. Envio-lhe aqui o contacto do editor da Plátano em Portugal com quem poderá contactar e encomendar a obra: *
Tenho tb o Pequeno livro da Etiqueta e Bom Senso para adultos da editora LEYA que está a tratar da sua adaptação para o mercado brasileiro, já que tem aí uma delegação.
Qualquer outra informação poderá consultar no meu blogue:
http://educacaoliteraturaecultura.blogspot.com

Um abraço,
Maria de Menezes